Anilhas

As anilhas

As anilhas normalmente utilizadas são metálicas, de alumínio ou de diversas ligas, tendo como objectivo uma maior duração.

Podem ainda ser utilizadas em conjunto com as anilhas metálicas, anilhas plásticas contendo códigos gravados ou simplesmente usadas em combinações de diferentes cores. No seu conjunto proporcionam o método mais usado para marcação individual de aves, sejam elas selvagens ou de cativeiro.

É fundamental que seja utilizada a anilha cujas dimensões se adaptam ao tarso ou tíbia da ave que se pretende marcar. Os tamanhos recomendados para todas as espécies de aves que podem ser marcadas em Portugal, encontra-se definido na listagem geral das espécies e tamanhos de anilhas recomendados, cujo documento pode ser descarregado em baixo na secção anilhas metálicas , podendo no entanto, esta ser alterada em qualquer altura, devido à constatação de uma melhor adequação num ou outro caso e que será devidamente comunicada a todos os anilhadores.

Tipos e dimensões das anilhas

Em Portugal são autorizados até à presente data apenas dois tipos de anilhas, as metálicas fornecidas pela Central e as de plástico ou coloridas.

 

Não podem ser utilizados outros tipos de anilhas sem o prévio conhecimento e a necessária autorização da Central Nacional.

 

Esta eventual autorização, depende da apresentação de um pedido indicando as razões que motivam a sua utilização, bem como a descrição do material e tamanho da anilha pretendida. Será sempre precedido de um período de estudo da sua utilização, principalmente orientado para a segurança das aves em que se pretende a sua utilização, ou em sua substituição a apresentação de estudo já efectuado que mereça a aprovação da Central.

 

Nestes casos, os custos de aquisição das anilhas será totalmente da responsabilidade do anilhador ou do projecto que pretenda a sua utilização.

 

As anilhas fornecidas pela Central Nacional de Anilhagem, são confeccionadas geralmente numa liga de magnésio e alumínio e no caso das aves marinhas são fabricadas em aço inoxidável ou numa liga especial designada “incoloy” de acordo com as espécies a que se destinam e tendo em conta o tipo de desgaste causado pelas areias e lamas e ainda a acção corrosiva da água salgada.

 

As suas dimensões e as ligas metálicas em que são fabricadas são apresentados na tabela da secção anilhas metálicas, sendo estas embaladas em séries de 50 ou 100 anilhas conforme os tamanhos.

 

As diferentes dimensões e ligas de que são fabricadas, são designadas por letras do alfabeto à excepção do tamanho menor que é designado por 0 (zero) a que se segue o tamanho A até ao N, sendo os seguintes designados por duas letras, nomeadamente MN, MR, MS e MT.

 

Embora as letras designem o respectivo tamanho de anilha, estas fazem parte integrante do código alfanumérico que identifica individualmente cada uma, devendo por isso ser correctamente e completamente introduzidos quer nas folhas de registo de anilhagem diárias quer na base de dados, com excepção para os zeros colocados entre os caracteres alfabéticos e os numéricos positivos; por ex. A012345, deve ser introduzido A12345, mas apenas para as anilhas portuguesas, devendo o código de todas as anilhas estrangeiras controladas, ser completamente introduzido.

 

As anilhas apresentam gravados para além do respectivo número, a identificação da entidade emissora, e que no caso português se apresenta da forma seguinte para as anilhas de tamanho maior:

 

CEMPA SECRETARIA DE ESTADO AMBIENTE LISBOA

 

E para as anilhas mais pequenas:

 

CEMPA SEA LISBOA

Exemplo de anilha.png

Anilhas metálicas

Tabela anilhas metálicas.png
Anilhas por tamanho.png

Listagem geral das espécies de aves e tamanhos de anilhas recomendados

Anilhas coloridas

As anilhas plásticas de cor ou coloridas, são marcadores auxiliares que permitem a obtenção de informações sobre a ave sem necessidade de a capturar.

 

Podem ser utilizadas tanto em espécies migratórias como em residentes e devem ser sempre usadas em conjunto com a anilha metálica CEMPA, de forma a permitir a marcação definitiva e obviar a possível perda da anilha de cor.

Anilhas coloridas.png

A obtenção das anilhas de cor é da responsabilidade do anilhador que coordene o projecto de investigação que solicita o seu uso.

 

Embora a Central Nacional não forneça as anilhas plásticas, compete à mesma a autorização e coordenação dos diversos códigos e cores a utilizar nos projectos que para o efeito solicitem o seu uso.

 

Para além desta coordenação nacional, é ainda necessário estabelecer contacto com os coordenadores europeus de alguns esquemas de marcação, nomeadamente quando se trata de limícolas, de modo a evitar sobreposição ou mesmo a utilização simultânea do mesmo esquema, o que quando sucede em espécies migratórias, inviabiliza todo o esforço realizado.

Um dos aspectos mais importantes no uso de anilhas de cor é a possibilidade de ocorrência de efeitos negativos ocasionados pelo seu uso sobre as espécies em que são utilizadas. Assim e caso se verifiquem e provem efeitos negativos para uma determinada espécie, pode a Central de Anilhagem cancelar a autorização para o seu uso.

 

O anilhador que use anilhas de cor deverá estar sempre consciente de que a sua utilização pode acarretar problemas para as aves em que as coloca, devendo por isso, estar atento a estes eventuais efeitos e caso ocorram, deve interromper de imediato a sua utilização e comunicar o facto à Central.

Uso das anilhas

O uso das anilhas e o envio dos dados de anilhagem à Central, são da responsabilidade do anilhador.

 

As anilhas são propriedade do Estado Português e o Anilhador que as requisita ao recebê-las, torna-se responsável por elas, terminando essa responsabilidade quando o anilhador envia os dados resultantes da anilhagem à central, quando as devolve ou quando a Central aprova a sua transferência para outro anilhador, com credencial válida.

 

Após o recebimento, o anilhador deve conferir os números de série, devendo esta ser feita nas próprias anilhas e não apenas nos envelopes que as contêm. Se verificar discrepância entre a lista anexa e as séries de anilhas, deve contactar a Central sem usar as anilhas, por forma possibilitar uma correcção da situação. Caso esteja correcta, deve devolver a lista depois de assinada logo que possível.

 

As anilhas são remetidas ao anilhador credenciado, após pedido por escrito deste.