© 2020 Associação Portuguesa de Anilhadores de Aves

PEEC  

Projecto de Estações de Esforço Constante

O QUE É?

O PEEC estima a abundância de adultos e juvenis de várias espécies nidificantes, baseando-se na captura de aves em redes verticais. Estes resultados contribuem para a monitorização da biodiversidade em Portugal, com informação relevante sobre as alterações nas populações de aves nidificantes.

O PEEC é organizado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Associação Portuguesa de Anilhadores de Aves (APAA) e o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO).

COMO FUNCIONA?

As Estações de Esforço Constante (EEC) são mantidas por anilhadores credenciados, responsáveis pela escolha dos locais de captura, pela anilhagem das aves e pelo envio dos dados. Este esforço é, na sua maioria, voluntário, e por isso agradecemos a disponibilidade destes anilhadores para que este projecto continue sempre activo!

COMO PARTICIPAR?

Este projecto está aberto a todos os anilhadores com credencial de anilhagem de passeriformes. Informação detalhada sobre o programa e o protocolo pode ser consultada neste website e no Manual. As estações activas devem enviar os dados anuais utilizando a Folha de introdução de dados.

O anilhador responsável por cada estação de anilhagem deverá preencher e enviar para a APAA o Compromisso de colaboração no PEEC.

 
PERÍODO

De 15 de Novembro a 15 de Fevereiro, com uma sessão em cada período de 15 dias, resultando num total de 6 sessões. O número de dias entre cada sessão não deverá ser inferior a 3 dias e o padrão de visitas deve ser semelhante todos os anos. Na impossibilidade de cumprir a totalidade do período proposto, considera-se como aceitável um mínimo de 5 sessões.

É altamente recomendado que sejam cumpridas todas as sessões já que só assim podemos conseguir os pressupostos do projecto.

ESFORÇO CONSTANTE

Este projecto pretende obter estimativas fiáveis da densidade de adultos e juvenis em cada época de nidificação, baseando-se na captura de aves em redes verticais. O número de aves capturadas depende em primeiro lugar do esforço de captura, que é padronizado, isto é, o número e posição da redes bem como o tempo em que estas estão operacionais é constante. Em segundo lugar, é necessário que os locais onde as redes estão localizadas não sofram alterações que que possam influenciar a captura das aves. Deste modo, se estes requisitos forem cumpridos, as alterações no número de aves capturadas entre anos reflectirá as variações reais da densidade das aves nesse local.

METODOLOGIA

De 25 de Março a 22 de Julho, uma sessão de captura (6 horas, iniciadas 45-30 minutos antes do nascer do Sol) é realizada em cada período de 10 dias, resultando um total de 12 sessões. O número de dias entre cada sessão não deverá ser inferior a 6 dias e deve-se assegurar que nenhuma anilhagem é efectuada nessa EEC nos 3 dias anteriores. Deverá tentar manter um padrão de visitas semelhante em todos os anos.

Todas as aves capturadas são anilhadas, de modo a ser possível contabilizar o número de aves que foram recapturadas de anos transactos e nesse ano. É ainda necessário identificar a idade de cada ave para poder calcular a produtividade anual, isto é, o número de juvenis por ave adulta.

CONTEXTO NACIONAL

Por outro lado, como pretendemos obter estimativas das flutuações nas populações a nível nacional, é necessário obter dados de vários locais ao longo do território nacional para que as diferenças específicas de cada local sejam atenuadas. Por isso, para a correcta implementação deste método é necessário assegurar um número mínimo de estações de anilhagem que estejam em operação durante vários anos.

3. Parque Biológico de Gaia
Localização: Gaia ()
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável:
Contacto:

 4. Viana do Castelo
Localização: Gaia ()
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável:
Contacto:

5. Mitra
Localização: Évora (38º31'52.19"N  8º01'05.34"W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: Carlos Godinho
Contacto: capg@uevora.pt

AVALIAÇÃO DO PROJECTO

O funcionamento de cada EEC é avaliado anualmente após a verificação dos dados anuais. Assim é possível verificar se cada EEC continua a assegurar os requisitos mínimos para manter a qualidade dos dados obtidos.

É também muito importante que as estações assegurem o máximo de visitas anuais (12 visitas) e que o número de visitas não efectuadas seja o menor possível (máximo de 4 visitas não efectuadas, 2 no primeiro grupo de 6 e 2 no segundo grupo de 6.

 7. Fonte Cigana
Localização: Estremoz ()
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: Pedro L. Geraldes
Contacto: pedro.luis.geraldes@gmail.com
Página web

 

Locais

 

Os locais das estações são seleccionados de modo a permitir a captura de número suficiente de aves durante a época de nidificação, em habitats que seja possível prever a longo prazo que se manterão com poucas alterações.

Para este projecto têm colaborado as seguintes estações de anilhagem:

Cruzinha

Água Branca

Herdade dos Forninhos

Parque Biológico de Gaia

Veiga de São Simão

Mitra

Fonte Cigana

Quinta da Atalaya

Quinta do Arrife

Estação ornitológica Nacional

Cruzinha
Habitat: Sebes

Localização: Mexilhoeira Grande (37°08'40" N; 8°36'29" W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: Marcial Felgueiras
Contacto: marcial.felgueiras@arocha.org

     Página web

Água Branca
Habitat: Galeria ripícola em ribeira sazonal

Localização: Odemira (37º48'29'' N; 8º27’17'' W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador responsável: Cláudia Matos
Contacto: matos.cs@gmail.com

Herdade dos Forninhos
Habitat: Galeria ripícola de salgueiros com relvado húmido

Localização: Odemira (37°44'45" N; 8°44'23" W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador responsável: Cláudia Matos
Contacto: matos.cs@gmail.com

Parque Biológico de Gaia
Habitat: Florestal

Localização: Avintes, Vila Nova de Gaia (41°5'56" N; 8°33'38" W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: GVC - Rui Brito
Contacto: anilhagemdeaves@gmail.com

     Página web

Veiga de São Simão
Habitat: Galeria ripícola e caniçais

Localização: Mazarefes, Viana do Castelo (41°41'32" N; 8°46'17" W)
Colaboração: 2011/12-2014/15

Anilhador Responsável: GVC - Rui Brito
Contacto: anilhagemdeaves@gmail.com

     Página web

Mitra
Habitat: Florestal

Localização: Évora (38º31'52" N; 8º01'05" W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: Carlos Godinho
Contacto: capg@uevora.pt

Fonte Cigana
Habitat: Pomar e matos

Localização: Estremoz (38°47'8" N; 7°34'15" W)
Colaboração: 2011/12-2015/16
Anilhador Responsável: Pedro L. Geraldes
Contacto: pedro.luis.geraldes@gmail.com
     Página web

Quinta da Atalaya
Habitat: Salinas abandonadas 

Localização: Alcochete (38°44'31" N; 8°55'22" W)
Colaboração: 2015/16
Anilhador responsável: GAET - Afonso Rocha
Contacto: afonso.rocha@gmail.com
     Página web

Estação Ornitológica Nacional

Habitat:

Localização: Santo André (38.083549, -8.785415)
Colaboração: 2016
Anilhador responsável:
Contacto: 

Quinta do Arrife
Habitat:

Localização: (39°27'41" N; 8°45'8.94" W)
Colaboração: 2016
Anilhador responsável:
Contacto: 

 

Resultados

Como reconhecimento do empenho dos anilhadores ao longo das 12 sessões do PEEC, a equipa de trabalho do PEEC compromete-se a publicar os resultados anuais no final de cada campanha até dia 1 de Dezembro.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now