A Estação Ornitológica Nacional


É em plena área da Reserva Natural das Lagoas de Santo André e da Sancha, que podemos encontrar a estação de anilhagem mais antiga de Portugal em funcionamento.

A anilhagem no local onde se encontra a Estação Ornitológica Nacional remonta a 1977, onde nesse ano teve início o programa de monitorização da passagem migratória pós-reprodução ou outonal, durante os meses de agosto a Setembro, sob coordenação do CEMPA e da Central Nacional de Anilhagem. Desde o seu início, estas campanhas, tiveram sempre a participação de anilhadores ingleses, que em alguns anos foram mesmo o garante da sua continuação, mas mantendo sempre uma componente forte de formação. A estação de Santo André foi mesmo durante muitos anos, o único local de formação de novos anilhadores.

Inaugurado em 2004 o edifício de apoio à Estação de Anilhagem do Monte do Outeirão, abandonando assim o acampamento onde durante 28 anos se localizaram as estruturas provisórias de apoio à atividade de anilhagem.

Passa a ser definida como Estação Ornitológica Nacional (EON) em 2007 e atualmente é muito mais que uma estação de anilhagem.

Com uma componente forte de formação de anilhadores, tal como no passado, assegura hoje a participação em programas de monitorização como o PNMAI, PNMAC, PEEC, MAI, CIAA, PNMAA, para além da monitorização mensal da Lagoa de Santo André, e de um programa de instalação e monitorização de 400 caixas ninhos na área da RNLSAS.

Para além destas ações, fornece ainda apoio a pareceres no âmbito do ICNF e ações de monitorização desenvolvidas na área da DRCNF-ALT para diversos projetos e programas, como o Novo Atlas das Aves Nidificantes. Estas atividades juntamente com a visitação regular, e com ações de educação ambiental, fazem com que a Estação Ornitológica Nacional tenha uma atividade contínua anual.

Durante todos estes anos, muitos anilhadores e visitantes de diversas nacionalidades têm passado pela Estação Ornitológica Nacional, contribuindo com o seu esforço e dedicação em benefício das Aves, a quem muito agradecemos.


Até à data, foram capturadas 175341 aves de 184 espécies. Destas, foram anilhadas 136176 aves, sendo as restantes 39165 controlos ou recuperações de aves já anilhadas, das quais, 877 são aves provenientes de outros países.